Anatomia para Artistas – I

Nesse post, esmiuçaremos o básico do básico (do básico) da anatomia. Falaremos da nomenclatura básica, para que possamos aprender a localizar um osso ou músculo. Tendo um nome, fica também mais fácil de associar uma forma à aquele volume, pois você tem uma ‘caixa’ de informação sobre aquele determinado osso (ou músculo), ao invés de ter várias coisas na cabeça sobre algo abstrato. Vamos lá ?

Muitos dos nomes anatômicos possuem nomes latinos ou gregos, já que essas descobertas foram nomeadas há muito tempo atrás. Isso tem como benefício de facto que médicos ou artistas de diferentes nacionalidades podem se referir a uma parte e serem entendidos.

Posição anatômica padrão

Posição anatômica padrão

Esse é a posição padrão dos livros de anatomia. Você pode (e deve) esculpir seu personagem em qualquer pose (de preferência uma mais relaxada), mas é importante entender que é assim que você verá o corpo humano em muitos livros e referências sobre o assunto.

Nessa posição, qualquer coisa que esteja na parte da frente do corpo é chamada de anterior e qualquer coisa na parte de trás é chamada de posterior. Acima da cintura é chamada de de superior enquanto abaixo é chamado de inferior.

Termos direcionais básicos

Termos direcionais básicos

Vamos para um exemplo prático. Na figura abaixo você vê a pélvis. Onde o dedo apnota é um ponto importante da figura humana; serve como referência, é o ponto de onde os músculos da parte da frente da perna irradiam. É chamada de espinha ilíaca, mais especificamente, espinha ilíaca anterior superior. De acordo com o que aprendemos, significa que é espinha ilíaca superior, em direção ao topo, anterior, em direção a frente do corpo. Simples, não é ?

Espinha Ilíaca Anterior Superior

Espinha Ilíaca Anterior Superior

Naturalmente, se falamos em espinha ilíaca anterior superior, podemos supor desde já que há uma espinha ilíaca posterior superior assim como anterior inferior e posterior inferior.

Como regra geral, se algo é nomeado superior, você pode inferir que há uma contraparte inferior. O mesmo para posterior e anterior.

Ao falar de músculos, frequentemente ouvirá termos como origem e inserção. A origem é simplesmente o ponto no qual o músculo se origina no esqueleto, é a parte que fica fixa durante a contração. Ou seja, uma maneira fácil de achar a origem de um músculo é achar o ponto onde ele se move menos ao contraí-lo. A outra “ponta” do músculo é a inserção, a parte que tem mais movimento. O formato de um músculo pode até se mudar durante o movimento mas seus pontos de origem e de inserção nunca mudam, eles estão fixos aos esqueleto.

Origem e inserção do pectoralis

Origem e inserção do pectoralis

Partes do músculo

Partes do músculo

No próximo artigo, tem mais.

 

Use Facebook to Comment on this Post