Dicas para seu render V-Ray

Essas dicas podem ser muito úteis para diminuir o tempo do seu render de 3 horas para 20 minutos. Muitas pessoas não compreendem que no caso de settings para render, mais não significa necessariamente melhor. Pelo contrário, após um determinado limite, a lentidão aumenta exponencialmente sem melhora visível na imagem e você ainda começa a introduzir ruído na imagem. Pra complicar um pouco mais, as opções de render geralmente influenciam umas as outras. Ainda farei um post (provavelmente em vídeo) explicando todas as opções, mas até lá, espero que essas dicas sejam úteis.

1 – Use a escala do mundo real

Você pode não saber, mas é essencial que você modele os objetos usando seu tamanho real. Com isso, você tem a certeza que as luzes da sua cena funcionarão como as luzes do mundo real. Todo programa tem em suas configurações, uma opção para configurar as medidas usadas. Se está fazendo algo pequeno e delicado, talvez seja interessante trabalhar  com centímetros, se está modelando uma casa, use metros… E por aí vai.

2 – Preocupe-se com sua geometria

Primeiro, preocupe-se com a contagem de polígonos do seu objeto/cena. Se o mesmo objeto pode ser representado com menos polígonos, melhor, seu render ficará mais leve.

 Geometria

Preste atenção em vértices duplicados, arestas que sobrepõem-se umas as outras, etc. E não é só na hora da iluminação que isso ficará extremamente aparente. Ao aplicar um turbosmooth ou deformar o objeto, também.

3 – Use Linear Workflow (LWF)

Utilizando LWF você terá renders mais realísticos e renderizados em menos tempo, pois a maneira como arquivos 8-bit são salvos torna a imagem aparentemente mais escura do que realmente são. Veja mais aqui.

4 – Use a V-Ray Physical Camera

A V-Ray Physical Camera tem muitas (muitas!) vantagens sobre a câmera comum dos pacotes 3D. Ela funciona como uma câmera fotográfica real, te permitindo ajustar exposição, velocidade do obturador e white balance como você faria como uma câmera normal. Na prática, ao invés de aumentar a intensidade da sua luz (ou diminuí-la) você pode simplesmente configurar a câmera para capturar a luz da maneira desejada. Algumas pessoas aplicam vignette  e depth of field, mas eu não recomendo, pois são operações que pesam no render e ficam lá permanentes. Melhor aplicar na pós-produção.

Estude fotografia!

5 – Renderize em passes

Geralmente, muitas pessoas ignoram esse passo por considerá-lo difícil, trabalho e/ou desnecessário. Mas no longo prazo, realmente vale a pena. Renderize diferentes passes e quando precisar alterar somente uma reflexão ou um specular highlight, renderize somente aquele passe novamente. Além do mais, isso te permitirá total controle na pós-produção da sua imagem. Passes te dão controle sobre canais de difusão, specular e reflexão, depth of field e muito mais. Escolha o que quer renderizar no pop-up Render Elements… O mínimo ? Specular, reflection, z-depth e Material ID.

6 – Não exagere nos níveis de transparência/reflexão

2 ou 3 no máximo. (Render Options -> Global Switches)

7 – Sempre salve o seu Irradiance Map

Simplesmente acelera o seu render. Se você não vai mais ficar modificando a iluminação, o ganho é significativo.

8 – Não use muitos light bounces

Óbvio, mas render settings é uma área onde as pessoas costumam pensar no ‘mais é melhor’ e meter lá em cima as configurações. O primeiro já é o suficiente para a maior parte dos casos.

9 – Use Light Cache

Sempre marque Use Light Cache for Glossy Rays… Isso diminui muito o tempo se você tem muitas reflexões glossy.

10 – Preste atenção no tamanho das suas texturas

 Se você fez download de uma textura de madeira de 3k e a usa num objeto pequeno no fundo da imagem, você pesa seu render desnecessariamente. Seja esperto e redimensione o tamanho das suas texturas de acordo com a distância da câmera e tamanho do objeto.

11 – Render Setup

Se está usando Indirect Illumination como método, vá de Irradiance Map + Light Cache. Para AA, Adaptive DMC funciona bem na maior parte dos casos. Se sua cena está do lado extremo dos detalhes e reflexões borradas, Fixed pode ser interessante.

Sempre marque Show Calc. Phase, isso te permitirá ver o mapa enquanto está sendo calculado e após algum tempo você já terá uma noção da iluminação da cena antes mesmo dela ser finalizada, te permitindo abortar se necessário e economizando tempo.

12 – Ajuste o limite de memória

Por padrão, o V-Ray é conservador. Mas lembre-se, você não. Mude o Dynamic Memory Limit para mais ou menos metade da sua memória RAM e seja feliz.

Use Facebook to Comment on this Post